Nintendo e o “Oceano Azul”

Sou um grande fã da Nintendo e isso não escondo de ninguém. Muitas pessoas me perguntam o porque desse amor pela empresa.

Existem vários motivos para minha paixão pela Big N ser grande, mas, utilizando alguns conceitos do mundo dos negócios, vou explicar de forma rápida um pouco sobre a REAL estratégia desta icônica e tão diferente empresa que tanto amamos.

Vamos começar citando duas estratégias interessantes do mundo dos negócios: O conceito do “Oceano Vermelho” e o conceito do “Oceano Azul”. Vamos entender um pouco sobre cada um já na prática, vendo como Nintendo, Sony e Microsoft pensam de forma diferentes e adotam estratégias distintas para prosperar seus negócios.

 Mas o que é Ocenao Vermelho e Azul e quais as diferenças?

Oceano Vermelho é a estratégia padrão adotada pelo mercado coorporativo, onde buscamos COMPETIR com o mercado e com os concorrentes, nos preocupando em explorar as demandas existentes, cortar custos e, eventualmente, buscar a inovação. Exemplos de empresas que adotam esta estratégia no contexto do mundo dos games são: Sony e Microsoft.

Oceano Azul é um conceito mais recente, criado por W.Chain Kim e Renee Mauborgne, visando, ao invés de COMPETIR por um espaço existente no mercado, CRIAR uma nova demanda, rompendo a cultura dos custos, se reinventando. Dessa forma, indo na contra-mão do modelo tradicional de negócios.

Sejam sinceros: Nos dias atuais, quando pensamos em games, lembramos de quem? Sony e Microsoft não é mesmo? Vemos constantemente fãs fervorosos discutindo em vários fóruns, listas e sites buscando saber qual console das duas empresas seria o melhor, o mais potente, o que tem a melhor interface ou até mesmo a velha guerra entre “consoles e PCs“, correto? E isso ocorre pela forma com que essas empresas trabalham, adotando para si a estratégia do “Oceano Vermelho” que visa um modelo mais tradicional de negócios, baseado em uma forte competição, em roubar o “share“ (fatia de mercado e lucros) de sua concorrente, criando, assim, um ambiente de guerra tanto para a empresa, quanto para seus consumidores. Mas e a Nintendo? Bom, para entender como esta gigante pensa, vamos conhecer, primeiro, a estratégia adotada por ela: O “Oceano Azul”. Enquanto as empresas do “Oceano Vermelho“ pensam nos potenciais clientes, definindo e limitando o mercado para si, a Nintendo, através da estratégia do “Oceano Azul“, busca potencializar novos tipos de clientes, investindo em inovações e em melhorar a experiência do usuário. Um bom exemplo desta estratégia é o saudoso Nintendo Wii, que, desde seu lançamento, em 2006, visava, ao contrário das “concorrentes“ (que se preocupavam, cada vez mais com gráficos e produções cinematográficas) uma jogabilidade inovadora através de gestos e movimentos específicos para cada jogo. Buscava, também, atrair novos  jogadores, como idosos, crianças e gamers casuais e, por fim, focar em multiplayer local, aumentando, assim, a interação entre amigos e familiares. A mesma estratégia tem sido mantida nos dias atuais. Basta olhar o trailer do Nintendo Switch para ver o quanto a Nintendo ainda se preocupa com todas essas questões.

Como podemos perceber, a Nintendo criou, tal qual a Apple, Starbucks e tantas outras empresas seguidoras do “Oceano Azul”, todo um novo nicho de mercado, se destacando em pontos não explorados, ou pouco explorados, pelas demais empresas do setor. Esta forma de pensar, se destacando das demais ao invés de concorrer diretamente com elas, é o que chamamos de “Oceano Azul“.

Para finalizar, gostaria de deixar claro que, apesar de ser um grande fã da Nintendo, não acho o modelo de negócios das demais empresas ruim. Cada uma trabalha da forma que é melhor para si e todas me agradam.

E você, gosta da Nintendo ou prefere outra empresa? Qual sua opinião acerca do assunto?


Passa o Controle