O dia em que a ‘Maldição da Atualização’ não me deixou jogar

Jogo vídeo game desde que me entendo por gente. Comecei no Telejogo da Philco, era bem legal aquele bastão que ficava pra cima e pra baixo na tela com um quadrado batendo nele. Na época chamávamos de tênis (criança tem uma imaginação). Passei pelo Atari, depois veio a geração 8 bits e 16 bits que pra mim foi a melhor de todas, e os vídeo games foram evoluindo.

Posso dizer que até a geração do PlayStation 2 e Xbox a coisa era muito boa, digo isso porque jogar ainda era simples. Você sentava sozinho ou com algum amigo, ligava o vídeo game, escolhia quem iria ficar do lado direto da tela porque era mais fácil fazer a meia lua do Hadouken e pronto, era diversão á flor da pele.

Na geração Xbox 360 e Playstation 3 a coisa começou a ficar mais embaçada, e nessa atual geração PlayStation 4 e Xbox One piorou drasticamente. Atualizações constantes deixavam o ato de jogar chato e irritante, não digo isso com rancor no coração, mas sim com muita tristeza. Um dia desses aconteceu um “causo” comigo que precisava desabafar com alguém.

jogando_super_nes_passa_o_controle

Senta que lá vem história.

Imagine eu chegando cansado do trabalho, doido para desferir uns combos e Shoryukens em alguém, ou simplesmente entrar numa sala de FPS e como dizem “largar o aço” ou “sentar o dedo”, em alguns inimigos virtuais, e na hora H quando ligo o vídeo game (o primeiro foi o Xbox One) e aparece a tela que arrepia a alma ‘Seu console necessita de uma atualização de 560mb’.

Atualizacao_xbox_one_passa_o_controle

“Ah vai, 560mb não é nada”, pensei eu, “minha internet é de 15 mb , em uns quinze ou vinte minutos eu começo a jogar e largar meu stress em alguém”.

Enquanto o Xbox One atualizava resolvi ligar o PlayStation 4 e jogar um pouco de Killzone: Shadow Fall. Peguei o controle com calma e liguei o vídeo game, ele iniciou e me aparece na tela em letras garrafais ‘Seu console necessita de uma atualização de 420mb’.

Larga do meu pé chulé, outra atualização? Assim não tem coração que aguente isso! Coloquei o bendito PS4 pra atualizar, lembrem que neste momento o Xbox One e o PS4 estavam em processo de atualização, ou seja, o que demoraria vinte minutos pra concluir se transformou em quarenta minutos com o download compartilhado.

Atualizacao_ps4_passa_o_controle

Não me dei por vencido e corri pro Playstation 3, queria começar a jogar Uncharted 3 que há tempos eu me prometia e nunca começava a jogar. Peguei o terceiro controle e liguei o console. Ele fez aquele barulhinho clássico de “piii” ligando, demorou alguns segundos e coloquei o game pra iniciar… Tela preta, e a mensagem ‘Este jogo necessita de uma atualização 620mb’.

– Nããããooooooo – Gritei com todas as forças do meu pulmão. Que maldição era essa minha gente? Eu só podia estar em alguma pegadinha dessas de TV, só que era de games. Olhando para todos os cantos do meu quarto a procura de câmeras escondidas que não encontrei é claro, deixei o raio do PS3 atualizando e resolvi fazer a ultima tentativa.

Se eu estivesse em uma partida de Resident Evil eu diria que três dos meus quatro cartuchos de Shotgun, já tinham sido gastos, faltava mais um, o Xbox 360. Tomei para mim a clássica frase de Seiya “Não posso me dar por vencido”, e peguei o controle branco na estante. Apertei com muito carinho a bolinha com o X, ela piscou com a luz verde e o vídeo game iniciou.

seiya_passa_o_controle

Juro pra vocês que eu estava rezando naqueles segundos de boot. Quando o vídeo game iniciou a maldição se completou, o ultimo cartucho estava sendo queimado, meu ‘Shield’, tinha acabado, o Hadouken não saiu, aquele pulo no precipício foi precipitado, enfim… ‘Este console necessita de uma atualização 250mb’.

Eu já havia perdido quarenta minutos da minha vida tentando jogar vídeo game e não conseguia sair da Dashboard do vídeo game, isso estava errado! Queria ter um numero de SAC pra reclamações acerca de atualizações indesejadas em horas que não se deve atualizar o console, mas eu não tinha.

Triste, cabisbaixo, sem direção, olhava atentamente a tela da TV, trocando os inputs de console para console na vã esperança de um deles terminar sua atualização há tempo de eu jogar antes de dormir. Cheguei a apostar comigo mesmo qual venceria a ‘corrida da atualização’. Mas o negocio estava tão lento, que acabei desistindo.

Foi quando eu vi a luz no fim do túnel, o oásis no deserto, o sol no horizonte, o power up quando me restava apenas um pontinho de vida. Olhei para meu armário e avistei meus consoles antigos. Rapidamente me veio à mente uma mensagem que poderia ser descrita como uma tela de vídeo game quando você ganha um achievement, “Estes consoles, não precisam de atualização’.

sonic_passa_o_controle

Não tenho palavras para descrever a alegria que senti. Corri feito uma criança para os braços da mãe, neste caso os retrogames. Retirei do armário meu Mega Drive 3, com 31 jogos na memória. Liguei rapidamente na minha Tv de tubo (sim aquelas antigas que quase ninguém tem), apertei o botão de Power, e a mágica aconteceu. Trinta e um jogos disponíveis para serem jogados, sem atualizações, sem frescuras, era simplesmente apertar o Start e começar a diversão.

Conclusão da noite: Terminei Sonic 1, cantarolando todas as musicas enquanto jogava, extremamente feliz com um mundo sem atualizações, um mundo sem travas, onde era possível apenas ligar seu console amigo e se divertir várias horas com ele.

Fui dormir às 23:00, e somente o Xbox 360 tinha terminado sua atualização. Mas naquela altura do campeonato eu não ligava, a música de Green Hill Zone, iria povoar meus sonhos pelo resto da noite.

 


  • rftailor

    Me contou isso… Realmente hoje em dia é complicado. Me lembra que na geração passada era possível continuar sem o update. Só não acessava os recursos online.

    Com a atual isso não é possível?

    Por isso que continuo jogando CPS1 e CPS2 (que terão matérias em breve).

    • Na geração atual o VG já liga atualizando, e não quer saber de idéia.

      Na geração passada podia só ligar, mas alguns games não iniciavam se não atualizasse.

      Por isso é bom ter aquele velho retrogame pra lhe consolar nessas horas.

      Estou aguardando suas matérias Mr. Tailor. Quando o sertão virar mar elas chegam hahahha

  • Gabriel

    Eu realmente não me importo com atualizações. Claro, eu fico bolado, minha internet é 1MB, e atualizar os 11GB do Killer Instinct foi um inferno. Mas fazer o que, eu curtia o jogo e fui obrigado a atualizar. Os novos games só necessitam de atualização por causa de bug’s, ou então adicionar algo novo (assim como a Rockstar faz). As atualização de dashboard são importantes para arrumar bug’s dela ou então acrescentar algo novo também. Antigamente era simples: criava-se um game e pronto, acabou. Se o game viesse todo bugado, não teria atualização para corrigir, o daria um prejuízo alto para a empresa do game, já que ninguém mais iria comprar. Hoje em dia com atualizações é bem mais simples. Quando necessito atualizar algo pesado, deixo o console a noite. Caso for leve, fica de dia ou de tarde mesmo.

    • Rapaz eu não ligo muito também, mas esses ultimos consoles atualizam a toda hora. Eu ja tentei deixar em Stand By pra atualizar sozinho, mas nem sempre dá certo. E parei de deixar ligado depois que caiu um raio na minha rua e queimou a saida HDMI e a Fonte do meu Xbox 360. Entao desligo tudo na tomatada e vou no Warrior Mode pra atualizar sempre.

      Valeu pela participação meu fiiii

      • Gabriel

        Realmente, trovoada é o pior inimigo dos consoles. A única coisa que aguenta na trovoada é um NoBreak, mas um bom é entre 600 a 1200 reais, o que é bem caro só pra um protetor. O meu Xbox One sempre funcionou em Stand-by tranquilamente. Games retrôs eu jogo no meu PC usando emulador, ou no meu Xbox 360 Slim RGH, que também roda emuladores, então, pra mim é fácil jogar games retrô. O ruim das atualização são as chatices que elas acabam fazendo. GTA: San Andreas teve uma atualização na Steam que removeu 10 músicas e deixou o jogo todo bugado. Eu ia comprar ele original, mas depois de ver isso, eu continuei com o meu pirata mesmo.

        • Cara esse dia doeu na minha alma. Quando tentei ligar o Xbox e nada o coração disparou. Depois fiz o teste com outra fonte e vi que tava ligando, mas não tinha imagem. Testei com o cabo de video componentes e funcionou. Agora todos os consoles são desligados da tomada assim que termino de jogar.

          Valeu a participação e o comentário meu fiiii.

          Grande abraço.

  • Atualização é um saco, mas vamos ao cenário: 4 consoles das 2 últimas gerações (ostentação pouca é bobagem). Total de download, uns 1700MB. 2 jogos teoricamente antigos (Uncharted 3 e algum de X360 não citado) que sabemos, fatalmente serão vítima de atualização na primeira vez que se coloca pra rodar. Honestamente, botar um exclusivo de PS3 lançado há anos, vencedor de GOTY e não querer atualização é acreditar na queda do dólar em 2015. Tu praticamente implorou pra passar raiva. E enaltecer os retrogames é válido, mas ainda ter uma TV de tubo só pra botar o Mega 3 da TecToy é algo que me faz parecer se tratar de um conto, uma hipérbole sobre a dificuldade do Plug&Play de hoje em dia, e não um fato, ainda que possível. Eu apenas faço votos que tenhas um canto só teu pra tudo isso, e não tenha que usar a TV da sala, aí realmente seria pra matar o peão.

    Tu podia se contentar com 1 console ou 1 atualização, esperar 20 minutos, desestressar e antes de dormir deixar outro console atualizando para o dia seguinte. E encher alguns desses montes de consoles com retrogames, as opções são várias. Eu mesmo posso jogar sonic 1 no meu ps3 sem atualizar nada…

    • Rapaz eu tenho 38 consoles, tenho que ter uma Tv de tubo pra poder jogar os mais antigos. Mas esse dia foi uma exceção. Havia tempos que não ligava os consoles “novos”, e sempre que ligo vem essa maldita atualização. E não é ostentação, apenas gosto de jogar video games, e nunca vendo meus consoles, com o tempo fui comprando mais e virou uma mania. Tanto que prefiro jogar Sonic no Mega Drive pra dar aquela nostalgia de quando eu tinha 13 anos.
      Geralmente coloco pra atualizar na madruga mesmo, mas repare que hoje tudo é atualização e não são pequenas. Lembro que nesse dia pareceu uma maldição porque era aquele dia que eu queria muito jogar um game. E acabei sofrendo.
      Mas no final rendeu uma boa história.

      Valeu pelo comentário.

      Grande abraço meu fiiii

      • Eu falei de ostentação com intenção jocosa, não foi uma crítica, não me leve a mal. hehehe. Eu mesmo tenho 5 (incluindo um Mega Drive 1 original japonês com E-Swat na caixa), gostaria de ter mais como coleção, mas só uso 1 pela falta de tempo (e de ter que usar a TV da sala = briga, ou do quarto = divórcio garantido), e justamente o que tem que atualizar. Também não vendo, a maioria dos que tive ganhei do meu primo, que comprava a novidade e me passava o velho, então, é questão de ética não vender e passar pra alguém mais novo entrar na onda. Realmente, o texto está muito bem escrito e em cada passagem é possível imaginar a cena. O que me chamou a atenção e me fez comentar foi realmente o exagero (real ou não) de tentar jogar alguma coisa em diferentes consoles e perder mais tempo do que esperar 1 só. E mesmo o que descrevi como alternativa sugere uma “condicionante” pra jogar, que é deixar atualizando aquele jogo que quer jogar amanhã, o que não existia na era de ouro. Realmente é o fim do Plug&play.

        Grande abraço!!

        • Não levei pro lado maldoso meu fiii. Somos amantes dos games e é isso que importa. MAs rapaz eu tenho dificuldade de me desfazer dos meus consoles, dai surgiu a ideia de criar um museu do video game. Fui guardando os que eu tinha e fui comprando outros. A medida que eu consigo um console antigo que fez parte da minha infância me deixa feliz, porque quando sento pra jogar é como se tivesse voltado no tempo com eles.

          Eu tenho um cantinho reservado pros meus video games, infelizmente não da pra por todos juntos, mas sempre que bate aquela saudade de um game especifico ou na hora que ta atualizando um console, os retrogames fazem parte da minha vida.

          Vamos seguindo na vida game meu amigo.

          Grande abraço e valeu novamente a participação.

  • Otimo post, vou deixar aqui uma historinha que contei recentemente enquanto atualizava Super Smash Bros do 3ds que alias foi comprado em cartucho, aqui eu falo só dos games, mas também se encaixa nos firmwares dos consoles que definitivamente não continham bugs (de funcionalidade) antigamente, no máximo havia alguma falha explorável por piratas, mas nada que impedisse o funcionamento correto, enfim:
    “A difusão da internet deixou os desenvolvedores mal acostumados, antigamente os desenvolvedores tinham só uma chance de lançar o jogo, e os jogos BONS não vinham bugados, vinham pelo menos tão bugados quanto os jogos de hoje estão DEPOIS DE RECEBEREM PATCHS.”
    As vezes relançavam novas versões de certos jogos mas só pra caráter de censura(o que também é ruim mas não vem ao caso), quase nunca pra corrigirem bugs. Pode-se argumentar que os jogos eram muito mais simples de se desenvolverem devido ao hardware limitado. Não exatamente, pois primeiramente, as ferramentas da época eram igualmente limitadas, impedindo testes profundos ou mecânicas e otimizações que hoje em dia permite que uma equipe de internautas criem uma maravilha da programação que é Pier Solar pra mega drive. E a parte mais importante, as equipes eram proporcionalmente menores que as equipes de desenvolvimento de hoje. Acontece que os desenvolvedores BONS sabiam que só podiam contar com jogos bons e funcionais pra se manterem no mercado, hoje em dia muitos jogadores viraram fanboys alienados, dando brecha pras empresas relaxarem. Não desconfio em nada da competência dos profissionais dessa área de hoje em dia, só realmente não tenho o mínimo de confiança nos gravatinhas que investem seu dinheiro em projetos impossíveis baseados em estatísticas e não em criatividade, e que ainda bancam de game designer.

    Malz se algo ficou fora de contexto, só copiei e colei dum post meu do facebook.

    • Ficou fora de contexto não Pedro, eu concordo com você no tocante ao mal costume. Mas também temos que levar e conta que hoje em dia os games são bem mais elaborados que antigamente, muitos detalhes, muita coisa. E tem a pressão do lançamento, isso tudo combinado com internet e pouco teste fazem esses BUG’s e Patch nascerem. Estamos pra lançar um podcast acerca deste assunto, se voce curtir escute que está bem legal.

      Eu sempre atualizo tudo na night, mas fiquei com medo depois que um raio queimou a saida HDMI e a FOnte do meu 360, falei isso em outra resposta aqui. Mas não tem jeito, temos que seguir nessa vida gamer maravilhosa que tanto amamos.

      Valeu a participação e grande abraço meu fiiii

  • Diego

    Por isso mantenho meu velho 360 Arcade desbloqueado com diversos titulos piratas comprados a 10 pila no camelo, sempre pronto pra treta! rsrsrsrsrs Tudo bem que quando ligo parece um helicoptero levantando voo de tanto barulho que faz mas até isso é divertido. rrsrsrsrs O One passa mais tempo atualizando e fazendo download de jogo do que jogando mesmo! srsrsrsrsrsrssrs

    • Rapaz eu já disse isso sobre o One, mas o PS4 não fica atrás. O problema de hoje em dia é que a cobrança por lançamentos e a exigibilidade da galera com relação a qualidade dos jogos ficou tanta, que acabam tendo que atualizar a todo momento.

      Mas faz parte da vida, é como eu sempre digo, “mantenha um NES num cantinho que vez ou outra um Double Dragon pode salvar sua vida”.

      Grande abraço meu fiiii

  • Olá Beto! Sabe, eu até já estava acostumado com as atualizações do PS3 e do 360, agora fiquei vermelho de raiva quando eu estava jogando o Forza Horizon 2 no One e sem aviso a tela fica preta e diz que o jogo precisa ser atualizado! Já xinguei alguns consoles, mas nunca havia xingado de de sem educação! =) Abraços!

    • Ahhh eu passei por isso também. No meio do jogo BAAAMMM pediu pra atualizar. É a Maldição da Nova Geração rsrsrsrs

      Valeu a mensagem e a participação meu amigo.

      Grande abraço meu fiiiii

  • Cara, exato!!! Hoje em dia é mais fácil se irritar do que se divertir! Belo post!! Abraços.

    • Pois é Alistron. Se irritar vai totalmente contra a ideia dos vídeo games, que foram feitos pra divertir.

      Valeu a participação nos comentários meu fiiiii.

Passa o Controle